Carregando...

Carregando...
EM ATÉ 12X
CARTÃO DE CRÉDITO
Compra
segura

Projetos para a Educação Infantil

  • Autor(es): Maria Luisa Aroeira
  • Ilustrador: Andréa Vilela; Liliane Romanelli; Márcia Meyer; Mirella Spinelli; Paula Regis Junqueira; Silvia Aroe
  • Coleção: Projetos para a Educação Infantil
  • Formato: 27,5 x 20,5
  • Páginas: -
  • Idade: -
  • Gênero: -
  • Segmento: Educação Infantil
Código: 8573194367
R$ 30,00
1
Escolha a quantidade:
2
Compartilhe:
SINOPSE

O trabalho com crianças da Educação Infantil (0 a 6 anos) deve levar em conta o processo de aprendizagem que se realiza de acordo com as fases de desenvolvimento da criança. É bom lembrar, no entanto, que cada criança é única, com identidade própria e ritmo singular de desenvolvimento. Portanto, além de se considerar o processo de maturação da criança de modo geral e suas características individuais, é preciso propor situações que a incentivem à conquista paulatina da autonomia e da individualidade em seus diversos contextos.

"Detectar os conhecimentos prévios das crianças não é tarefa fácil. Implica que o professor estabeleça estratégias didáticas para fazê-lo." (Referencial Curricular Nacional para Educação Infantil, v. I, p. 33)

Identificar os conhecimentos prévios das crianças menores às vezes é difícil pelo fato de elas não se expressarem bem verbalmente.

"Com relação às crianças maiores, pode-se também criar situações intencionais nas quais elas sejam capazes de explicitar seus conhecimentos por meio de diversas linguagens a que têm acesso. (Referencial Curricular Nacional para Educação Infantil, v. I, p. 33) 

A criança pequena valoriza muito as regras e valores dos outros — geralmente adultos — e procura imitá-los. É a fase da heteronomia, que se realiza por imitação e não por escolha própria como na fase da autonomia.

Crescendo, a criança atinge certa maturidade e compreende que as regras e os valores podem ser discutidos e reelaborados por consenso, isto é, de acordo com o grupo. É quando se dá a passagem da heteronomia para a autonomia, que supõe habilidades emocionais, cognitivas, sociais e culturais.

A partir do que foi dito, compreende-se por que o professor precisa criar situações para que tais habilidades possam ser desenvolvidas. É preciso oferecer material que favoreça o desenvolvimento intelectual e afetivo e, principalmente, estar aberto para trocar, e não apenas oferecer.

 

Caixa com seis volumes. Ano da edição: 2004.